sábado, 27 de setembro de 2014

Panorama Político Eleições

   
      Em uma panorama geral dessa eleição eu vejo que temos não mais uma eleição e sim uma guerra, visto pelos ataques constantes como forma de desconstrução do adversário, leia desconstrução porque tudo isso que vemos ai pela propaganda eleitoral do PT me lembra um método stalinista onde você lança calúnias e difamações baseadas em declarações as quais o candidato difamado não disse, como quando o PT(Dilma Rousseff) alega que a Marina Silva irá extinguir o bolsa família, o que leva a própria Marina Silva a se posicionar, mesmo que falando que não o fará, entretanto isso leva o eleitor menos esclarecido, aquele que não tem muito acesso as noticias, meio que vive no escuro durante quatro anos e toma os spots da propaganda eleitoral como verdade a refletir: - "Se a candidata se posiciona a falar em contradição ao que foi dito anteriormente pelo adversário isso me leva a pensar que ela chegou a pensar em acabar com o bolsa família e depois acabou mudando de opinião."
     E isso acaba levando a outra argumentativa da campanha Petista que fala que a candidata muda de opinião facilmente, visando se adequar a situação e tudo isso  muito bem articulado pelo PT sobre a regência do coordenador de campanha João Santana, aí por outro lado a Marina fala que vai continuar "dando a outra face", parafraseando Jesus Cristo, entretanto o que eu acho que Walter Feldman não se deu conta e do processo eleitoral em que está, porque cultura de paz não ganha eleição em meio a uma barbárie, não digo para que os candidatos baixem o nível da campanha, digo para que saibam debater com coerência e colocar os dedos na ferida dos adversários, a pesquisa Data Folha que saiu no Jornal Nacional ontem mostra um crescimento de Dilma em cima de Marina e uma estagnação de Aécio, que é um ponto paradoxo eu diria onde se ele não cresceu e a Dima cresceu seis pontos em uma semana, isso mostra que involuntariamente Aécio faz uma segunda linha política do PT, pra mim isso só me mostra não só pelo momento atual, mas por um longo quadro político que o PSDB não sabe fazer oposição, sem contar o fato de que o Aécio Neves se vê ao centro de um "cabo de guerra" pois se por um lado ele esta em uma situação crítica na eleição presidencial, por outro ele parece não conseguir eleger seu candidato ao governo de Minas, isso em seu estado onde ele sempre foi "bom de voto", mas isso ao meu ver se dá por certo desprezo do candidato que julgou que já estava "no papo", pois não esqueçamos que Minas gerais é o segundo maior colégio eleitoral do país, com tudo isso vejo uma certa imaturidade do PSDB que tem um discurso muito politizado, muito intelectual, discurso esse que só atinge o eleitorado mais politizado, aquele que possivelmente já pretende votar no PSDB (Aécio Neves), esquecendo se que o eleitorado que pode ser decisivo para definir a sorte das eleições, aquele que tem menos conhecimento e acesso espera um discurso mais simples, aquele discurso vamos assim dizer mais entendível, e ao adotar essa politica de campanha você acaba filtrando seu discurso a apenas uma parcela da população.
     Outra coisa que eu gostaria de ressaltar é um erro grotesco vou assim chamar de Dilma Rousseff e de Aécio Neves em não apresentar seu plano de governo, e pior por Dilma que além de não apresentar o seu se dá ao luxo de criticar/caluniar o de Marina com spots ridículos em seu programa eleitoral como comida sumindo do prato e livros em branco em analise ao que irá ocorrer caso o banco central seja autônomo como sugerido pela candidata do PSB, isso é algo que contribui de forma negativa para o processo eleitoral onde, você torna a informação difusa e irreal.
     Quem perde com isso é a população que além de ser pouco informada agora é também ludibriada.

Jefferson Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário