quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Uma Disney chamada Brasil

    Há mais de dois mil anos Aristóteles concluiu que um objeto mais pesado cairia mais rapidamente que um mais leve sem nunca ter feito o teste. Para quê teste, é óbvio que é assim, é lógico! Levou mais de mil e quinhentos anos até que alguém tivesse a audácia de questionar isso e de finalmente fazer o teste. Ele subiu até o alto da Torre de Piza soltou dois objetos de tamanhos distintos e quem estava em baixo pode constatar que os dois caíram ao mesmo tempo. Esse 'alguém' era Galileu Galilei, o mesmo que quase virou churrasco por outra audácia: dizer que a Terra é plana e gira em torno do Sol.
    Em tempos de fartura de informação disponível a um Google de distância quantos não tiram conclusões sem ler o mínimo sobre determinado assunto. Em um país aonde se lê em média quatro livros por ano e as novelas ocupam mais tempo na TV que documentários ou noticiários não falta quem tire conclusões baseadas apenas em preconceitos, religião ou idealismos. Quem negue a existência de dinossauros mesmo tendo um fóssil debaixo do nariz ou que conclua que todo criminoso é uma vítima do capitalismo ainda que de tempos em tempos surja um novo psicopata em nosso noticiário, quem conclua que o problema é o capitalismo ainda que as nações mais desenvolvidas do globo sejam capitalistas e os países socialistas precisassem de muros para impedir fugas em massa.
     Nesta Disney chamada Brasil as nossas rechonchudas princesas compram calças baixas e reclamam da ditadura da beleza ainda que sonhem com um príncipe encantado, as mesmas que namoram um cara que mais parece um bandido e que reclamam depois quando são vítimas da violência destes (não estou nem incentivando a violência doméstica nem enquadrando todas as suas vítimas). Na nossa Disney todos merecem ganhar bons salários mas nem todos topam um mínimo de esforço para adquirir uma formação profissional e muitos acham que o esforço se restringe a pagar a mensalidade da faculdade particular. Todos querem ser bem atendidos mas quase ninguém se esforça para fazer seu trabalho direito.
    Assim como na Disney, aqui os problemas ignorados nos esperam do lado de fora...

Evandro Veloso Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário