quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Debate na Record 2014 - Propostas de governo se foram


                                 Fonte: aovivo.folha.uol.com.br

      Creio que foi uma das poucas vezes nas eleições do Brasil que os candidatos à presidência trocam tantas acusações entre si. No terceiro debate do segundo turno, as propostas foram ofuscadas pela enxurrada de acusações que os candidatos dirigiram um ao outro. O mais interessante neste combate não foram as acusações diretas às pessoas de Dilma Rousseff e Aécio Neves, mas principalmente aos partidos. Cada candidato apontou mais acusações aos governos dos partidos do que a si mesmos, e nem mesmo expuseram suas propostas. Fico imaginando o quanto isso pode pesar na escolha dos eleitores. Afinal, até que se noticie, não sabemos quem está certo ou quem está errado, quem mente ou que fala a verdade, quem está a favor da população ou quem está contra ela.
     Sobre o debate, penso que Aécio se posicionou muito bem contra as acusações. Defendeu-se e se manteve firme contra as investidas de Dilma sobre o governo de Minas. Na minha opinião, é muito despreparo comparar um governo estadual com um governo federal. Dilma, também a todo instante tentava lançar acusações do governo do ex-Presidente FHC em cima de Aécio, o que na minha avaliação, é uma tolice, o que mostra que a então presidente não tinha fatos para suas acusações. As acusações de Aécio em cima do mensalão e o escândalo da Petrobrás foram incisivos e de importante informação ao eleitor. Bem, seguro e com estabilidade emocional, ele foi o que mais desafiou no debate e muitas das perguntas formuladas por ele, ficaram sem respostas.
    Porém, mesmo contudo isso, as propostas se foram. Estamos diante de candidatos que estão a esmiuçar a podridão da vida e do partido do outro, e as propostas a serem debatidas estão esquecidas. Propostas boas ou ruins, só na propaganda eleitoral. Fico pensando: o eleitor crítico e informado fará a escolha no partido menos pior? No candidato mais preparado? Como analisar isto tudo?
Acredito que chave para a análise está no passado e no presente de cada partido e candidato. O que cada um fez, o que cada um contribuiu para o Brasil, e o que cada um tem feito hoje. Através da ação de cada partido, podemos avaliar a proposta de cada um e assim, elegermos o candidato com o preparo melhor para fazer mais pelo Brasil, em meio a uma saraivada de acusações.


                                                                                                                              Luís Tadeu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário