quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Privatição x falta d'água - Resposta à artigo da web


     O artigo já começa bem: "Ele explica que estiagens são comuns em outros países e nem por isso a população fica sem água potável nas torneiras." Ou seja, a seca no sertão baiano é culpa do Jacques Vagner porque em Israel não falta água. Esse então é sensacional: "O governo não investiu na ampliação de mananciais, são os mesmos de 30 anos atrás." http://agregario.com/lei-aprovada-haddad-facilita-agiliza... Inclusive em áreas de mananciais.
     Mais uma ótima: "A falta de investimento na ampliação de novos mananciais tem explicação." Ok, cadê os números mostrando a redução do investimento? E a fonte (caramba, sempre esquecem desse PEQUENO detalhe)?
     Outra ótima: "Para o geólogo e deputado estadual Adriano Diogo (PT-SP)" Uma opinião NADA suspeita...
     Mais uma: "a lógica do lucro na Sabesp é anterior à década de 90, e remonta à época da ditadura militar." Ok, se é anterior à negociação das ações na bolsa então qual a culpa da negociação exatamente. Além disso foi justamente na época da ditadura que foram montados os nossos principais sistemas de abastecimento.
     Outra: "Com faturamento anual na casa dos R$ 10 bilhões e lucro líquido em torno de R$ 2 bilhões, a Sabesp tem repassado anualmente a seus acionistas aproximadamente R$ 500 milhões." Se ela repassa R$500 milhões de R$ 2 bilhões a matemática diz que os outros R$1,5 bilhão foram investidos. Isso é mais investimento do que a gigantesca maioria das empresas privadas brasileiras. E estamos desconsiderando os investimentos feitos com a capitalização da empresa (os acionistas compraram as ações e pagaram por elas) e os repasses do governo.
     Vixe, mais uma: "O professor conta que dez anos após o capital da companhia ter sido aberto na Bolsa de Nova York, a Sabesp foi premiada nos Estados Unidos por ser a empresa que mais se valorizou no período." DEZ anos depois? Se valorizar é pecado? Já faltava água e os americanos nem ligaram ou ainda não faltava água e, por isso, os americanos não levaram isso em conta? Ou a falta d'água atual é realmente uma situação excepcional e, por isso, não fez parte da avaliação americana?
Caramba, mais furo: "Para ele, a abertura das ações na Bolsa de Nova York é um dos principais motivos da falta de investimento na ampliação dos mananciais para o abastecimento de água da população de São Paulo. “Não investe porque só quer ter lucro para repassar aos acionistas." E você acha que as obras de emergência e os descontos saíram de graça? E ainda assim não foram feitas?
Mais uma: "O deputado petista destaca que o comportamento da Sabesp é diametralmente oposto ao da Petrobras, que também tem ações em Bolsa, mas não abriu mão de investir. " Citar a Petrobrás é dose: http://veja.abril.com.br/.../com-dilma-petrobras-perdeu-r...
Mais? " “É uma das contas de água mais caras do mundo. Isso é para dar lucro para os acionistas.” Cadê os números? Cadê as fontes?
     Mais ainda? "Um dos problemas levantados pelo técnico para o agravamento da crise é o desperdício de água pela própria Sabesp, que hoje ultrapassa os 30% do volume produzido, segundo dados da Agência Reguladora de Saneamento e Energia de São Paulo (Arsesp). Esse percentual de desperdício é suficiente para abastecer uma cidade como Campinas." Ok, cadê a comparação com outras empresas de saneamento brasileiras? A SABESP é a que menos desperdiça no Brasil.
     Outra opinião NADA suspeita: " Quem é terceirizado não recebe a mesma formação que nós, a rotatividade dessas empresas é muito grande." Mais? "Para o professor Julio," Júlio o quê? Da onde? Como procuro o cara para saber se ele existe de verdade? Qual a qualificação do dito cujo? Professor de ioga?

Evandro Veloso Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário