sexta-feira, 26 de junho de 2015

Recomendação literária da semana

O livro que irei comentar este mês também é do economista e colunista de Veja Rodrigo Constantino, apesar de achar suas opiniões muito radicais e demasiadamente extremas em alguns pontos enxergo nele bastante coerência em seu discurso liberal e acredito também que mesmo que totalmente contrários política e cultura brasileira tais medidas possam ser uma alternativa plausível e eficaz para os problemas políticos e econômicos do país.
Neste livro temos textos que o autor publicou na Folha de São Paulo entre os anos de 2011-2014 (primeiro mandado de Dilma Rousseff) e o que mais chama atenção são alguns textos de 2011-12 com menções a Petrobras que parecem ter sidos escritos na semana passada, o que mostra o quão a situação recorrente de nossa maior estatal já era perceptível por conhecedores da área.
Pois bem, se você tem a mente aberta e gosta de uma leitura sarcástica e bem humorada e também se sente remando contra a maré vermelha, sugiro que leia o livro e tire suas próprias conclusões.

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Recomendação literária da semana

O mais novo livro do historiador Marco Antonio Villa, lançado entre dezembro e janeiro deste ano, consegue reunir os fatos pertinentes desta eleição que foi assertivamente denominada de a eleição mais suja da historia pelo autor.
Primeiramente o autor faz uma breve viajem pelas eleições da república, depois relata os fatos que marcaram esta disputadíssima eleição, desde a queda do avião de Eduardo Campos, a desconstrução da candidata do PSB pelo pelo PT, ao segundo turno, debates de ambos os turnos e reportagens e manchetes que marcaram o período, em especial o esquema de corrupção na Petrobras assim denominado"Petrolão".
Para que possamos a entender melhor o que foi de fato a eleição presidenciável de 2014 e todos os esquemas que rolaram por debaixo dos panos, recomendo a leitura deste livro que se faz bem amena devido a escrita fácil já conhecida do autor.

segunda-feira, 15 de junho de 2015

A distorção do Jornalismo

Pra quem assistiu na última sexta feira a entrevista da presidente da república ao jornalista Jô Soares da rede globo percebeu o que o jornalista excedeu todos os limites possíveis no que tange a ser tendencioso, entenda você que acredito que todo cidadão tenha o direito de ter uma opinião e de manifesta-la e a critica que faço aqui não se dá ao fato de que o mesmo se mostrou mais um adepto do lulopetismo, entendam vocês que a partir do momento que um jornalista se presta ao papel de fazer perguntas distorcidas para favorecer o entrevistado já é notório que o mesmo perdeu seu papel.
Um forte exemplo deste relato é quando o entrevistador referido perguntou a presidente como ela se sente ao ver as criticas que a oposição endossam diariamente em relação a ela não ter cumprido as promessas de campanha, ora só, vejam vocês como este pergunta visa privilegiar a imagem de Dilma Rousseff, pois a primeira inverdade é afirmar que a oposição critica o PT diariamente por não cumprir suas promessas de campanha, uma que isso quase que não ocorre, salvo algumas exceções e ainda que a critica não é por não cumprir suas promessas que além do pouco tempo de mandato as promessas de ambos os lados eram vagas e oportunistas, mas o problema que a real critica é pelo estelionato eleitoral, por demonizar as medidas fiscais que agora lança mão afim de realinhar a economia em frangalhos deixada pelo próprio PT.
Acho lamentável tais acontecimentos, mas pelo visto a nossa mídia se mostra cada dia mais um braço de manobra do governo, que com seu projeto criminoso de poder vem tomando de assalto e destruindo este país.

terça-feira, 9 de junho de 2015

Recomendação literária da semana

Na semana passada conclui a leitura do livro "Não é a Mamãe" do Guilherme Fiuza, que é uma coletânea de 100 crônicas publicadas no jornal O Globo e para a revista Época, com alto tom sarcástico o autor cita os anos de Dilma Rousseff desde a campanha de 2010 até 2014, onde a divide em cinco partes, sendo elas: "Dilma é a mãe", "A faxineira", "A babá de Rosemary", " A plebiscitária" e "mamãe voltou", apesar dos textos autoexplicativos a leitura se mostra esclarecedora de forma eloquente com destaque na minha opinião a crônica "Sobrou para a Emília" na página 63 que faz uma ferrenha critica com metáforas a obra de Monteiro Lobato - O Sítio do Pica Pau Amarelo.

terça-feira, 2 de junho de 2015

Recomendação literária da semana

O livro a ser comentado esta semana é o Privatize Já do economista e colunista de Veja Rodrigo Constantino, neste livro o autor usa de sarcasmos, comparações bastante embasadas e de suas já conhecidas ferrenhas criticas ao modo estatal, onde o governo tende a centrar o poder administrativo de diversos órgãos, tornando precários tais serviços, além de muito instrutivo o livro é muito bem ilustrado e simples de se ler, tornando assim muito entendível a ideia do autor.
Recomendo o mesmo afim de que se entenda melhor o conceito antes de sair por aí criticando a "Privataria" como boa parte da população o faz, tendo assim sobre as privatizações essa pecha recebida da cultura lulo-petista.