terça-feira, 8 de dezembro de 2015

O Vitimismo X o Empresariado em época de Crise

Hoje no Brasil a crise evoluiu de um mero conceito e situação hipotética, para um fantasma que assombra a população, inclusive acredito eu que este medo seja natural e muito recorrente, ocorre que a falta de informação ainda é um grande problema, pois a crise vendida por alguns meios de comunicação é um pouco mais sensacionalista e divergente da real situação (por um pouco entenda-se muito), entenda você caro leitor que quando é noticiado que o endividamento das famílias aumentou, este fato é verdadeiro, que o índice de desemprego aumentou também é verdadeiro ou ainda quando se fala que a inflação tende a alcançar dois dígitos, tudo isso é verídico; entretanto não falo só dos fatos e sim como estes são dispostos e o porquê destes chegarem a tal ponto. 
Vamos lá: o que é tão importante quanto é que o brasileiro saiba o porquê de tudo isso, que a ele seja mostrada a face política por trás deste mal que assombra e tira o sono de tantos brasileiros, entenda você que para que se faça possível um julgamento coerente da crise é preciso ter discernimento para entender e enxergar os fatos que a trouxeram, a incompetência política, o gasto exacerbado e imaturo do dinheiro público e é claro o projeto criminoso de poder, como foi dito pelo decano do STF o ministro Celso de Mello. Agora temos um sensacionalismo regado a muito “mi mi mi” e pouca informação que parece jogar no time do quanto pior melhor. 
E se todos os fatos acima mencionados não fossem suficientes vemos na situação atual uma demonização ridícula do empresariado e do empreendedorismo, como se os vilões do capitalismo fossem aqueles que tiveram peito de empreender e arriscar suas cabeças por uma ideia e de tal modo a se predispor a pagar as altas cargas tributarias do país e mesmo em meio à crise se mantém de pé. Mas parece que em nosso país ganhar dinheiro (honestamente é claro) se faz um crime, um crime contra aqueles que não possuem os mesmos padrões, vivemos a geração do vitimismo onde é mais prático reclamar das lamúrias do “sistema” do que se pôr a luta e entender que nunca um país saiu da crise reclamando do governo sentado na mesa do bar da esquina ou chorando por ter perdido o emprego na empresa que trabalhou nos últimos oito anos, é preciso coragem pra ir à luta e não reclamar mas sim viabilizar as soluções das mudanças que se almeja, saber que esse ou aquele não é culpa de seus problemas e sim as suas escolhas, sejam elas não ter se qualificado pra buscar uma melhor colocação no mercado de trabalho ou ainda não ter tido informação suficiente pra escolher com acurácia o governo que lhe representa. 
Mas não se preocupe, pois nenhum governo é eterno e nenhuma decisão não pode ser repensada e corrigida, apenas saiba que o medo é admissível, mas a coragem não então paremos de lançar aos outros as responsabilidades por nossas mazelas e saibamos assumir o protagonismo de nossas vidas, pois enquanto ficarmos lamuriando os problemas eles sempre serão vitoriosos nas batalhas do dia a dia e ai sim só nos restara mesmo afogar as derrotas de mais um dia com o garçom na mesa do bar.