quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Sobre a entrevista de Michel Temer ao Roda Viva (14/11/2016)

Acredito que em meio a maximização do advento da acessibilidade tecnológica que vivemos podemos nomear os roteadores de as maiores universidades do país uma vez que "na internet" temos excelentes juristas e versados comentaristas políticos formados em títulos tendenciosos e de fontes duvidosas, uma bibliografia pobre e sem nexo que flerta com a ignorância e a desinformação gratuita; mas não eu não quero tecer criticas gratuitas ao modo como a nossa política tem sido discutida em sua maioria pela internet, muito pelo contrario, quero me mostrar adverso a isso e para tanto promover uma forma de informação, e sem deixar de ser polêmico e sarcástico, não por considera-los uma qualidade sine qua non de minha escrita e sim porquê o uso de tais recursos torna mais atrativo o assunto que já a muito tempo tem recebido a alcunha de chato, entretanto mais presente nas mesas de bar.
Assistindo ao Roda Viva desta segunda 14/11/2016, que teve a presença do presidente Michel Temer percebi o quanto o problema da desinformação que sofremos atualmente não se dá pela falta de informação, até mesmo porque nossas UNIFI's (Universidades do WI-FI) estão ai pra isso, ocorre que não se está sabendo questionar e assim criar uma opinião própria e embasada em deduções lógicas, prova disto foi como se mostrou esclarecedora (pelo menos para mim) a entrevista do presidente uma vez que os entrevistadores presentes à bancada souberam fazer as perguntas certas afim de extrair as informações pertinentes e sanas as dúvidas perenes na cabeça dos brasileiros que não tomam meras deduções por títulos tendenciosos na timeline do Facebook.
Dentre tais dúvidas citadas no paragrafo acima gostaria de ressaltar três temas que reverberaram em minha mente no decorrer da entrevista, assuntos estes que foram: a possível candidatura do atual presidente em 2018, onde ele respondeu de forma extremamente política onde diz que não é seu foco e sim que está focado na reestruturação do país, perceba-se que essa resposta agrada aos ouvidos de qualquer brasileiro (os coerentes e apartidários pelo menos), e eu me incluo nesse grupo, ocorre ainda que espero que a tal resposta tenha ainda real compromisso com a verdade e percebo ainda que ao não haver uma negativa fatídica da possível candidatura podemos encara-la como uma possibilidade dependendo da aceitação e conjuntura política, perceba porém caro leitor que não demonizo tal pratica de extrema estratégia política desde que tenhamos como denominador comum um continuísmo de um governo acertado, desde que o mesmo haja e se faça presente.
O segundo tema e este mais pertinente de discussão no atual momento: a PEC 241, PEC esta que foi extremamente demonizada pela esquerda e militantes onde muitos desses nem se deram ao trabalho de lerem a mesma, para tanto sugiro que leiam a mesma, assistam a entrevista e depois sim criei opiniões, pois ai sim terá se ouvido as partes pertinentes e por isso capaz de desenvolver uma opinião lógica e coerente, independente de qual seja ela.
E por fim, até mesmo para que este não se torne mais um dos odiosos "textões" da internet a demonização da iniciativa privada onde gostaria apenas de ressaltar o comentário de Michel Temer ao falar que existe no país uma perseguição à iniciativa privada entretanto quando se passa por uma crise com alto índice de desempregados (12 milhões para ser mais preciso) a primeira medida sugerida é a geração de empregos, feito este que é geralmente, ou pelo menos em sua grande maioria propiciado pela iniciativa privada.
Percebam que não quero tecer opiniões diretas uma vez que quero fomentar a reflexão de temas presentes (ou pelo menos deveriam assim ser, de forma mais direta) no nosso cotidiano e poder debater e entender a situação do país de forma mais lógica e coerente, para tanto segue abaixo link da entrevista em sua totalidade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário