domingo, 28 de fevereiro de 2016

Uma geração de coitadinhos

É claro que nem todos são iguais e que sempre há aqueles que por alguma razão precisam ser assistidos de forma temporária ou permanente, como os idosos, deficientes, pessoas com alguma doença mais grave ou os em estado de pobreza extrema. É claro que não dá para exigir destas pessoas o que se exige das demais. A questão é que tirando os que nascem em berço de ouro todos temos as nossas dificuldades. Se cada um porém começa a olhar a sua dificuldade e começa a comparar com a do outro certamente achará alguém que teve menos dificuldades. Se cada cidadão fizer isso e concluir que, por isso, merece a assistência do Estado um pouco mais do que o outro acabamos tendo um Estado que tem que se ocupar de praticamente todo mundo, gerenciando cotas e outras medidas que tentem igualar as coisas. Deveria porém ficar claro que além disso exigir um arcabouço e um orçamento inconcebíveis que isso ainda tem outras consequências como o fato de criar uma cultura que coloca quase todos como coitados de alguma maneira (ou que procuram motivos para também entrar na lista).
Isso pode parecer hipotético demais mas olhemos mais detalhadamente para o Brasil: se por um lado o Bolsa Família é um programa amplo, por outro paga uma mixaria e não garante que seus beneficiários um dia deixem de depender dele. A saúde pública é ampla mas a qualidade é muito ruim. O mesmo para o ensino público.
A ideia do Estado Mínimo é justamente que o Estado só se ocupe daquilo que é incumbência intrínseca do Estado e daqueles que realmente precisam dele, de forma que possa se ocupar DIREITO .
Enquanto tivermos um Estado aonde a maior parte da população ache e exija do Estado algum tipo de assistência vão sobrar poucos para garantir que essa assistência realmente ocorra.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

O Programa do PT 23/02/2016

Bem leitores, hoje eu quero comentar sobre o programa político do PT que foi ao ar na noite de ontem: 23/02/2016, onde mais uma vez me senti ofendido e desrespeitado como brasileiro mediante a série de mentiras contadas de forma tão torpe e vil.
Ouvir o presidente da legenda Rui Falcão falar que hoje o país é diferente porque nas crises anteriores era o trabalhador quem pagava a conta, diferente desta, é de um cinismo desmedido, pois é sabido por todos que o PT tenta ressucitar a CPMF fora os inumeros aumentos em gasolina, energia e outros serviços e tributos; mais ofensivo ainda é ouvir o mesmo Rui Falcão dizer que as dificuldades são passageiras e que o Brasil é um país justo e que isso é a marca do PT, desculpem a minha franqueza mas pra mim a Lava Jato mostra que a marca do partido é outra, porém sigamos.
O programa fala ainda que após tentar anular o resultados das eleições e de emplacar o pedido de impeachment no tapetão (o que não é verdade), agora a oposição calunia Lula para chegar ao poder, o que é de uma mediocridade inimaginavel uma vez que o ex-presidente nada mais é do que isso, um ex-presidente que tenta sempre reaparecer no cenario politico e nada mais é do que um tigre de papel.
Entendam vocês que certas analogias são simples de serem entendidas, pra mim o PT não se classifica mais como um partido politico e sim como uma organização criminosa pois o partido teve dois de seus tesoureiros presos, três presidentes também presos e esta envolvido no maior número de escandalos que se ouviu falar nos ultimos tempos, e se não bastasse tudo isso ainda se ouve o ex-presidente Lula dizer que quem fala da crise todo tempo esta minando a confiança no país, quando é impossivel não se perceber que quem esta minando tal confiança é a incompetência e descaso com as contas públicas das administraçoes petistas que tiveram tão alcunha validada pelas três grandes agencias de investimento que rebaixaram a nota brasileira.
Penso eu que seria mais digno ao partido se retratar e tratar seus eleitores e a população em geral com maior respeito, uma vez que é impossivel negar a situação que vivemos, o brasileiro sabe em que conjuntura está inserido pois sente na pela as consequencias da crise causada pelo PT e sabe também que falar na crise não é pessimismo e sim enxergar o que a incompetência petista não foi capaz de enxergar.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Desculpe a Redundância


Quero começar este post pedindo desculpa aos leitores pela redundância de meus argumentos, mas como não ser redundante em um país onde a discussão politica ainda se faz de forma tão infantil? Como não ser redundante em um país onde o partido do governo tenta ludibriar a população nivelando tudo por baixo e tentando lançar sobre os políticos a alcunha de que todos roubam? Entendam que essa afirmativa por mais coerente que possa parecer não é, existem pessoas boas na politica sim, mesmo que poucas e sabe por que esse número de políticos honestos é tão baixo? Sabe de quem é a culpa? É SUA, ISSO MESMO! SUA!
Pode parecer surreal, mas também não é; os políticos são eleitos para representar a população, e enquanto não houver maior assertividade na escolha de seus governantes, entender como funciona o processo eleitoral e de fato se comprometer com isso o país viverá esse mar de lama que se tornou nossa politica, onde os eleitores enxergam como sensata opção anular o voto ou ainda eleger um palhaço semianalfabeto a título de protesto. Mas esse mesmo eleitor não quer sair às ruas para se manifestar, acha que compartilhar posts no Facebook onde nem mesmo se deu ao trabalho de conhecer a fonte é o suficiente para se caracterizar como eleitor consciente.
E nesse meio tempo ficamos nós subvertidos a conceitos errôneos, políticos incompetentes e impostos altos por serviços de péssima qualidade ou até mesmo a ausência deles, pois tudo isso parece mais conveniente do que buscar obter o mínimo de conhecimento necessário sobre algo tão importante como politica, mas parece que sempre que for proferido que politica é um assunto chato ou que não se discute, estaremos fadados a todos os problemas que são extremamente conhecidos e sentidos pela população, mas desde que ainda se tenham bundas, funk e futebol aos domingos na televisão o brasileiro prefere se acomodar e esperar que a solução mágica caia dos céus, afinal de contas Deus é Brasileiro.