quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Privatização

Gostaria de fomentar uma discussão referente a privatização, esse assunto foi demonizado durante muito tempo, principalmente pelo PT que usava a privatização da Vale do Rio Doce para alegar que tal pratica era um mal absoluto, quando devemos avaliar com maior coerência o ocorrido, de fato eu acredito que a Vale foi vendida barata pelo seu valor (pouco mais de 3 bilhões), porém em contra partida a mesma se encontrava “quebrada” e o governo não tinha condições e nem recursos para investir o que a Vale precisava pra render o que hoje rende, logo a melhor, ou diria a única opção era vende-la, entretanto essa escolha é mostrada principalmente pelo governo do PT como uma escolha errada pois para embasar tais afirmações ele mostrava os números atuais de valor e de lucro produzido pela empresa, esquecendo-se do valor investido, valor este que o governo não tinha a menor condição de dispor para investir naquela época, acho isso de uma covarde manipulação omitir determinados dados para influenciar uma opinião.
Ou ainda a privatização do setor telefônico, que foi o único que possibilitou o avanço que temos hoje, e olha que ainda não temos um serviço de qualidade, não temos um 3G de qualidade e ainda vemos operadoras anunciarem o serviço 4G que só fica disponível em algumas localidades e olhe lá, sem falar que a ANATEL que deveria fiscalizar o setor telefônico e de internet não o faz direito, tanto que vergonhosamente a ANATEL só obriga as empresas prestadoras de serviço de internet a fornecerem 30% do valor contratado.
E agora por falta de opção vemos o próprio governo que tanto criticou se vê forçado a privatizar certos setores por perceber tardiamente que esta é a melhor opção, o triste tudo é perceber que em algumas situações pagamos duplamente para ter um serviço de qualidade e mesmo assim ainda não o temos, um exemplo é o IPVA que pagamos para termos estradas dignas para rodarmos e o dinheiro é desviado por motivos de corrupção, forçando o governo a privatizar a nossa malha rodoviária, que por sua vez nós é cobrado pedágio para transitarmos nas mesmas, e ainda assim encontramos algumas destas estradas que não estão em plenas condições de uso, ou seja: pagamos duas vezes pelo mesmo serviço e não o temos com qualidade, outro exemplo é no setor da educação onde pagamos uma alta carga tributária que deveria ser investida também em educação de qualidade, porém mais uma vez isso não ocorre na prática, visando então ter uma educação digna para nossos filhos somos obrigados a pagar escolas particulares, e nem sempre as mesmas atendem as nossas expectativas, mais uma vez pagamos duas vezes por um serviço e não o temos em plenitude ou ainda na área da saúde, onde pagamos para a termos funcionando bem através dos tributos em bens de consumo e serviços, mais uma vez isso não ocorre e somos obrigados a custear com recursos próprios um plano de saúde que nem sempre nos socorre como esperado, e mais uma vez o problema está ai, por todos estes exemplos podemos perceber o quão as privatizações podem ser eficazes, entretanto é incoerente termos uma carga tributária tão alta e mesmo assim ainda termos de pagar novamente por certos serviços, percebo que falta coerência do governo e quem paga a conta como sempre é o trabalhador.

Jefferson Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário