segunda-feira, 6 de outubro de 2014

As alianças do Segundo Turno

     Com o fim das apurações dos votos do primeiro turno das eleições de 2014, os principais candidatos se manifestaram: Aécio Neves acenou quanto a um interesse de aliança com Marina Silva quando disse que todos aqueles que concordam que o governo atual precisa ser combatido são bem vindos ao seu plano de governo, de forma indireta mas bem objetiva, Marina esta que sinalizou uma possível aliança desde que seu programa de governo seja conservado nos principais pontos, mas que a decisão final ainda é do PSB, o que indica um pouco de seu radicalismo intransigente, mas que de qualquer forma tal aliança é de grande valia pro PSDB que visa voltar ao governo após 12 anos de derrotas para o PT.
     Enquanto isso a presidente/candidata Dilma Rousseff alega precisar de mais quatro anos para dar continuidade aos planos de seu atual governo, e com isso diz que todo mundo que quiser se juntar a ela nesse segundo turno afim de dar continuidade as mudanças que o país precisa será bem recebido, com isso a candidata do PSOL Luciana Genro sinalizou um possível apoio, declaração que me deixou um pouco espantado tendo em vista que no decorrer da campanha, em todos os debates a candidata do PSOL criticou ferrenhamente o PT e até se sentiu ofendida quando no debate da TV Aparecida o candidato do PSDB Aécio Neves a chamou de linha auxiliar do PT. Acho que isso só é reflexo de como esses partidos pequenos se utilizam como linhas auxiliares de campanha para conseguir alianças no segundo turno visando obter alguns ministérios e secretarias. Como mais se explicar o fato de uma das candidatas mais esquerdista e radical, simplesmente mansamente colocar seu "plano de governo" embaixo do braço e apoiar o governo atual que tanto criticou?
    
Jefferson Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário